Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ricardo Coutinho mandou achacar banco e empresa de Joesley, diz delator

Ivan Burity, alvo da Operação Calvário, fechou acordo de delação com o Ministério Público da Paraíba

Por Mariana Muniz - Atualizado em 17 jan 2020, 09h00 - Publicado em 17 jan 2020, 08h00

O ex-secretário de Turismo da Paraíba Ivan Burity, que fechou delação premiada com o Ministério Público da Paraíba, relatou que o ex-governador do estado Ricardo Coutinho teria usado seu poder para achacar o Bradesco e a Alpargatas a realizarem doações para fechar as suas contas de campanha, em 2014.

Burity, assim como Coutinho, é alvo da Operação Calvário, que mira em um suposto esquema de corrupção na Paraíba.

Segundo ele, as reuniões, tanto no Bradesco quanto nas Alpargatas ocorreram em suas sedes, “ambas situadas em edifícios suntuosos”.

“As reuniões nas duas empresas foram longas e tensas, e por diversas vezes deixamos claro para os interlocutores que eles haviam apostado no lado errado, e que estávamos dando a chance de eles corrigirem o ‘erro’ a tempo”, narra Burity na delação.

Publicidade

O empresário afirma que as duas empresas “finalmente cederam à pressão” e concordaram em fazer as doações nos valores solicitados pela campanha de Coutinho – cerca de 3 milhões de reais.

 

Publicidade