Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Renan Calheiros usou propina para financiar o filho

Propina abasteceu campanha eleitoral de Renan Filho

Por Ernesto Neves - Atualizado em 11 abr 2017, 20h02 - Publicado em 11 abr 2017, 18h35

O senador Renan Calheiros cobrou 1,2 milhão de reais à Braskem para financiar a campanha eleitoral do filho ao governo do estado de Alagoas. A denúncia foi feita pelo ex-diretor da Odebrecht Cláudio Melo Filho. Renan recebeu 1,2 milhão de reais da Braskem, empresa controlada pela Odebrecht.

“…o Grupo Odebrecht teria efetuado o pagamento de vantagem indevida para o fim de obter aprovação de legislação favorável aos interesses da empresa”, diz trecho do documento assinado pelo ministro do Supremo e relator da Lava-Jato, Edson Fachin.

Claudio Mello relata que houve uma reunião entre representantes da Odebrecht, da Braskem e o próprio Senador da República Renan Calheiros.

Ainda segundo o documento, Renan, então, solicitou a realização de pagamento, a pretexto de doação eleitoral em favor de seu filho José Renan Vasconcelos Calheiros Filho.

Continua após a publicidade

“O pedido foi repassado a João Antônio Pacífico Ferreira que, atento aos interesses da empresa no ramo energético, autorizou o repasse de R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), via doação oficial ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), propiciando a transferência de ao menos R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) ao filho do referido Senador”, diz.

Romero Jucá levou propina de quatro milhões de reais

Collor recebeu 800 000 reais da Odebrecht

Lobão levou 5,5 milhões de reais da Odebrecht

Continua após a publicidade

Irmãos Viana, Tião e Jorge, levaram 2 milhões da Odebrecht

Kassab investigado pelo desvio de R$ 20 milhões

Publicidade