Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Relatório da lei da licitações obriga prefeitos a algo que eles detestam

Dar transparência à gestão

Por Gabriel Mascarenhas - 21 maio 2018, 18h43

João Arruda, deputado pelo MDB do Paraná, apresentará nesta quarta (23) seu relatório sobre a nova lei das licitações à comissão da Câmara formada para debater o tema.

Um dos itens levará grande parte dos prefeitos à loucura.

Ele estabelece prazo de 4 anos para todas as cidades do país terem seu portal da transparência, contendo informações sobre salários de servidores, gastos do município e mais uma penca de informações que permita ao cidadão fiscalizar o Executivo.

A regra valerá, inclusive, para cidades com menos 10 000 eleitores, atualmente livres da obrigação. Problema grande à vista.

Publicidade

Dezenas de municípios que pela lei atual já deveriam ter disponibilizado seus dados na internet ainda não o fizeram.

Os prefeito devem apelar à reza e aos amigos que têm no Congresso. O relatório de Arruda, se aprovado na comissão, ainda precisará passar pelo plenário da Câmara e pelo Senado, antes de ir à sanção.

Publicidade