Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Queda de Moro abre caminho para Bretas e Ives Gandra no STF

Bancada evangélica vai levar uma lista de 'juristas cristãos', encabeçada pela dupla, ao presidente

Por Robson Bonin Atualizado em 1 Maio 2020, 14h43 - Publicado em 1 Maio 2020, 12h32

A saída bombástica de Sergio Moro do Ministério da Justiça abriu caminho na corrida pela cadeira de ministro do Supremo Tribunal Federal ao juiz da Lava-Jato no Rio, Marcelo Bretas, e ao ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra Martins Filho.

A bancada evangélica no Congresso, que não perde uma oportunidade, vai levar uma lista de “juristas cristãos”, encabeçada pela dupla, ao presidente Jair Bolsonaro.

ATUALIZAÇÃO, 14h39 — A Frente Parlamentar Evangélica enviou nota ao Radar, há pouco, para esclarecer “que jamais foi tratado dentro da Frente sobre indicações para o Supremo Tribunal Federal”. “Não sabemos onde o jornalista colheu tal informação, mas a classificamos como totalmente equivocada e não oficial, ao tempo em que manifestamos nosso repúdio veemente a esta publicação insinuativa, que foge completamente a forma objetiva, transparente e republicana com que os assuntos da Frente são tratados”, registra o comunicado.

O Radar mantém a informação. Não é verdade que “jamais” o tema foi discutido entre os pastores e parlamentares da bancada. O que há é uma disputa entre “nomes preferidos” de cada ala da frente. O tema não apenas foi discutido como ainda é ponto em aberto entre os parlamentares.

Continua após a publicidade
Publicidade