Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Primeiro conflito

O PROS teve que lidar com o seu primeiro início de crise no Rio de Janeiro. Tudo por causa de um personagem pouquíssimo conhecido da política local – o comandante da Marinha Mercante, Norberto Coelho. Norberto investiu cerca de 600 000 reais do próprio bolso para formar o partido no Rio. Com esse dinheiro, bancou […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 05h14 - Publicado em 8 out 2013, 14h53
PROS fluminense: quem investiu cobra cargos

Quem investiu cobrou comando do partido no Rio

O PROS teve que lidar com o seu primeiro início de crise no Rio de Janeiro.

Tudo por causa de um personagem pouquíssimo conhecido da política local – o comandante da Marinha Mercante, Norberto Coelho.

Norberto investiu cerca de 600 000 reais do próprio bolso para formar o partido no Rio. Com esse dinheiro, bancou passagens, hospedagem e sabe-se lá mais o que. Tudo com a promessa de que comandaria o PROS fluminense.

O tempo passou e a presidência do PROS foi entregue ao deputado federal Hugo Leal. Norberto não gostou e acabou agraciado com a secretaria-geral do partido no Rio. Por ora, o incêndio está controlado.

Continua após a publicidade
Publicidade