Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PGR apresenta nova denúncia contra Wilson Witzel

Governador afastado do Rio, Pastor Everaldo e ex-secretário de Saúde são investigados por suposto esquema de 'restos a pagar'

Por Mariana Muniz Atualizado em 15 dez 2020, 21h09 - Publicado em 15 dez 2020, 21h06

Às vésperas de mais uma etapa do processo que analisa o seu impeachment, Wilson Witzel sofreu um novo revés nesta terça-feira. O governador afastado do Rio e outras 12 pessoas foram alvo de uma nova denúncia pela Procuradoria-Geral da República. O Pastor Everaldo e o ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos estão entre os denunciados. 

De acordo com a PGR, a denúncia oferecida ao STJ está ligada às investigações da Operação Kickback, que apura um esquema de corrupção em “restos a pagar” do governo do Rio e prendeu o advogado Wagner Bragança. 

Segundo a denúncia, de 8 de julho de 2019 a 27 de março de 2020, Witzel “em ao menos 11 oportunidades, solicitou, aceitou promessa e recebeu vantagens indevidas no valor de R$ 53.366.735,78, agindo em conluio com pastor Everaldo, Edmar Santos e o empresário Edson da Silva Torres”.

Na denúncia, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo diz que o grupo de Witzel “ocultou e dissimulou a natureza, a origem, a localização, a disposição, a movimentação e a propriedade dos mais de R$ 53,3 milhões” —  convertendo em ativos lícitos o produto de crimes de corrupção e distanciando o dinheiro de sua origem ilícita.

Continua após a publicidade
Publicidade