Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Para Paulo Ferreira, Schahin era muito “enrolada” em honrar compromissos

O ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, dizia que a construtora Schahin era muito “enrolada” em honrar os compromissos firmados. É o que diz Chambinho em sua delação premiada. Em 2010, Ferreira teria dito ao “sócio” que tinha um valor a receber da construtora. Assim, pediu que a Oliveira Romano, escritório de advocacia de Chambinho, emitisse uma nota […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h21 - Publicado em 5 jul 2016, 17h30
alx_15912989cortada_original

Chambinho: negócio não foi fechado

O ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, dizia que a construtora Schahin era muito “enrolada” em honrar os compromissos firmados. É o que diz Chambinho em sua delação premiada.

Em 2010, Ferreira teria dito ao “sócio” que tinha um valor a receber da construtora. Assim, pediu que a Oliveira Romano, escritório de advocacia de Chambinho, emitisse uma nota no valor de 200 000 reais para o pagamento da dívida.

Feito o repasse, o advogado elaborou uma proposta para que futuramente prestasse serviços efetivos à construtora.

Mas Chambinho ficou na esperança, não chegou a prestar consultoria à Schahin.

Continua após a publicidade

Publicidade