Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pacheco oficializa saída do DEM e início de caminhada no PSD

O presidente do Senado afirmou que tomou a decisão a convite de Gilberto Kassab, que quer lançá-lo para o Palácio do Planalto

Por Gustavo Maia Atualizado em 22 out 2021, 12h05 - Publicado em 22 out 2021, 11h49

Rodrigo Pacheco acaba de confirmar publicamente, nas redes sociais, que decidiu se filiar ao PSD. O presidente do Senado, hoje no DEM, disse que tomou a decisão a convite do dirigente do partido, Gilberto Kassab — que pretende lançá-lo como candidato ao Palácio do Planalto nas eleições do ano que vem.

No anúncio, Pacheco agradeceu ACM Neto, presidente do Democratas, e fez referência à fusão da legenda com o PSL, que resultou no União Brasil.

“Agradeço aos filiados, colegas e amigos do Democratas de Minas Gerais e de todo o país o período de convivência partidária saudável e respeitosa. Meus agradecimentos especiais ao presidente ACM Neto pela atenção a mim sempre dispensada e manifesto meus votos de sucesso ao recém-criado União Brasil, na pessoa de seu presidente, deputado Luciano Bivar”, escreveu o senador.

Na edição que está nas bancas, o Radar mostra que a assinatura da filiação de Pacheco ao PSD ocorrerá no Memorial JK, em Brasília, na próxima quarta-feira, como parte do plano de Kassab para vendê-lo como um personagem que encarna a figura do ex-presidente Juscelino Kubitschek, mineiro como o presidente do Senado.

O mais novo integrante do PSD seria, para o presidente da sigla, um nome capaz de “pacificar o país” e garantir “estabilidade e previsibilidade para a volta do desenvolvimento”.

Continua após a publicidade

Publicidade