Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os maravilhosos vinhos de Cabral

Parte da propina paga por Edson Menezes era feita em forma de garrafas de vinho adquiridas no exterior

Por Ernesto Neves Atualizado em 16 ago 2018, 15h16 - Publicado em 16 ago 2018, 15h10

Sergio Cabral é um homem de gosto refinado. Parte de propina recebida era paga em forma de vinhos adquiridos por Edson Menezes no exterior.

Na lista do ex-governador, há garrafas de Margaux, Cheval Blanc e Mouton Rotschild. Três Petrus 1971 saíram pela bagatela de 7 865 dólares.

Lote ficou em cerca de 10 mil dólares Reprodução/Reprodução

Atual presidente do comitê organizador da Rio-2016, Menezes foi preso nesta manhã pela Polícia Federal acusado de ter pago propina para atuar na preparação do edital de leilão da folha de pagamento dos servidores estaduais na gestão de Sergio Cabral. Ele já foi superintendente do Banco Prosper e presidente da Bolsa de Valores do Rio.

Reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade

Publicidade