Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Missão impossível

Duas semanas atrás, a Fifa contratou uma empresa de assessoria de comunicação (a FSB) para tentar lustrar a sua chamuscada imagem – junto ao público em geral e ao governo Dilma, em particular. Depois da encrenca em que Jérôme Valcke se meteu com mais uma de suas nada diplomáticas provocações, a FSB deveria remendar o contrato […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 09h24 - Publicado em 5 mar 2012, 07h04

Valcke: um chute mal calculado

Duas semanas atrás, a Fifa contratou uma empresa de assessoria de comunicação (a FSB) para tentar lustrar a sua chamuscada imagem – junto ao público em geral e ao governo Dilma, em particular.

Depois da encrenca em que Jérôme Valcke se meteu com mais uma de suas nada diplomáticas provocações, a FSB deveria remendar o contrato e pedir o dobro pelo serviço.

Meses atrás, Dilma Rousseff disse um “não” redondo como uma bola a um pedido de audiência feito por Joseph Blater. A Fifa sentiu o golpe, mas apostou tudo numa nova tentativa, que seria feita agora em março, quando Blatter poderia vir ao Brasil para o encontro.

Sondagens foram feitas. Não havia resposta positiva, mas um novo “não” ainda não fora dado. Agora, nem pensar.

Continua após a publicidade
Publicidade