Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Incorporadoras se aproximam de Michel Temer

Na busca de saídas para a crise, incorporadores têm cercado o governo de Michel Temer para que sejam adotadas medidas que tragam de volta o crescimento. Os encontros têm acontecido com o próprio Temer, que prometeu recebê-los a cada 45 dias. A peregrinação inclui ainda os ministérios das Cidades, Fazenda, Planejamento e Justiça. A primeira […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h50 - Publicado em 15 set 2016, 11h10
Incorporadoras têm expectativas por retomada

Incorporadoras têm expectativas por retomada

Na busca de saídas para a crise, incorporadores têm cercado o governo de Michel Temer para que sejam adotadas medidas que tragam de volta o crescimento. Os encontros têm acontecido com o próprio Temer, que prometeu recebê-los a cada 45 dias. A peregrinação inclui ainda os ministérios das Cidades, Fazenda, Planejamento e Justiça.

A primeira demanda em negociação é o aumento do teto para imóveis que podem ser comprados com recursos do FGTS. Desde 2012, o valor máximo é de 750.000 reais. As construtoras acreditam que o teto deve ser de, ao menos, 1 milhão de reais.

Também estão sendo discutidas mudanças no programa Minha Casa Minha Vida. Entre elas, a ampliação da chamada Faixa 2, financiamento voltado para quem ganha entre R$1.600 e R$3.275.

Por consequência, haveria uma redução da Faixa 1, para quem ganha até R$ 1.600. A faixa mais baixa depende mais de recursos subsidiados pelo Tesouro Nacional, que enfrenta crise financeira. A falta de recursos para essa faixa têm implicado no crescimento de obras paradas pelo país. 

Continua após a publicidade
Publicidade