Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Gilmar Mendes sugere que Bolsonaro cometeu crime ao atacar Barroso

'Disseminar notícias falsas é corrosivo para a democracia e configura crime', diz decano do Supremo sobre mentiras propagadas pelo presidente

Por Robson Bonin 12 jul 2021, 15h04

Decano do STF, o ministro Gilmar Mendes usou as redes nesta segunda para sugerir que o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime ao atacar de forma grosseira, na semana passada, o ministro Luis Roberto Barroso, que integra o Supremo e é presidente do TSE.

Ao falar a apoiadores na porta do Alvorada, o presidente disse que Barroso “defende a redução da maioridade para estupro de vulnerável, ou seja, a pedofilia é o que ele defende”. Bolsonaro disse ainda que Barroso “defende a legalidade das drogas” e que, “com essas bandeiras todas, ele não devia estar no Supremo. Devia estar no Parlamento. Lá é o local de cada um defender a sua bandeira”.

As falas de Bolsonaro nada mais são do que mentiras contra Barroso. Sobre isso, Mendes foi direto: “Disseminar notícias falsas é corrosivo para a democracia e configura crime. Não existe juiz da Corte Constitucional brasileira favorável à pedofilia, à tortura ou a qualquer forma de violência. A mentira jamais vai conseguir impedir a defesa da Constituição”.

Publicidade