Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Falta dinheiro ao auxílio, mas não falta garçom no Ministério do Turismo

Ministério do Turismo de Gilson Machado estima gastar até 2,3 milhões de reais para que ninguém precise levantar da mesa para buscar o café

Por Hugo Marques Atualizado em 18 mar 2021, 18h17 - Publicado em 18 mar 2021, 10h30

O Ministério do Turismo anunciou a contratação de empresa terceirizada para fornecimento de serviços de garçons e copeiras. Está prevista a contratação de 21 garçons, 13 copeiras e um encarregado ao custo estimado 2,3 milhões de reais em 12 meses.

Na sede da pasta de Gilson Machado, por exemplo, serão cinco garçons e três copeiras somente no terceiro andar. No segundo andar, mais quatro garçons e duas copeiras. Na Secretaria Especial de Cultura, no Bloco B, serão entre dois e três garçons por andar.

O ministério diz que a contratação visa assegurar a necessária continuidade no apoio às atividades administrativas, com fornecimento de mão de obra, material e demais equipamentos necessários à administração pública.

ATUALIZAÇÃO, 18H16 — A assessoria do Ministério da Saúde enviou nota ao Radar: “O Ministério do Turismo informa que a licitação para contratação de garçons e copeiras tem como objetivo atender cerca de 900 servidores distribuídos em 11 gabinetes do Bloco U, Bloco B (Secretaria Especial da Cultura) e Biblioteca Demonstrativa. O valor é estimado como ocorre em qualquer pregão eletrônico – sendo menor ao final do processo – e diz respeito não apenas aos 35 profissionais como também a aquisição de todo o material necessário para a execução do serviço – pó de café, água, açúcar, adoçante, chá, material de limpeza, entre outros”.

Continua após a publicidade

Publicidade