Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#ECONOMIA#A fusão do Itaú e do Unibanco

Depois de quinze meses de negociação sigilosa, o Itaú e o Unibanco estão se unindo para formar o maior banco privado do país – e um dos vinte maiores do mundo – com um patrimônio líquido de 51 bilhões de reais. Agora a nova instituição passar a chamar-se Itaú Unibanco Holding e terá um conselho de […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 18h40 - Publicado em 3 nov 2008, 10h16

Depois de quinze meses de negociação sigilosa, o Itaú e o Unibanco estão se unindo para formar o maior banco privado do país – e um dos vinte maiores do mundo – com um patrimônio líquido de 51 bilhões de reais.

Agora a nova instituição passar a chamar-se Itaú Unibanco Holding e terá um conselho de administração composto de 14 integrantes – seis deles indicados pelo Itaú e pela família Moreira Salles.

O presidente do conselho será Pedro Moreira Salles e o presidente executivo Roberto Setúbal. O contrato da fusão foi assinado hoje.

Depois de quatro décadas, o Bradesco deixa de ser o maior banco privado brasileiro. Que reação imediata esperar de Lázaro Brandão, Marcio Cypriano & cia? Pelo tamanho que se tornou o gigante Itaú Unibanco, não há banco em vista para o Bradesco comprar para voltar a ser o número 1.  Entre os dez maiores bancos brasileiros, além dos estatais CEF e Banco do Brasil, estão os estrangeiros HSBC e Santander – quatro possibilidades que já se pode descartar previamente.

O que resta, então? Nas últimas semanas muito se especulou no mercado financeiro sobre uma negociação entre o Bradesco e o banco Votorantim – também um dos maiores do país. Sabe-se que conversas aconteceram. Mas nada indica até agora qualquer transação em curso.

Continua após a publicidade
Publicidade