Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘É cedo para falar em impeachment’, diz líder do PT na Câmara

Enio Verri diz que assunto será discutido com a oposição e será feita análise jurídica da situação; ele pediu a Rodrigo Maia reação da Casa

Por Evandro Éboli Atualizado em 30 jul 2020, 19h08 - Publicado em 26 fev 2020, 10h17

Enquanto alguns parlamentares petistas se manifestam em redes sociais pelo impeachment de Jair Bolsonaro, após seu apoio a manifestações de 15 de março, o novo líder do partido na Câmara, Enio Verri, é mais moderado.

O líder petista afirmou que primeiro é preciso reunir a  oposição e fazer análise jurídica da situação. Ele fez contato com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que está na Europa, para cobrar uma manifestação da Casa. Maia respondeu que falaria hoje com ele.

Verri ainda acha cedo para se falar em afastamento do presidente da República, apesar de achar a situação grave.

“Há uma radicalidade por parte dele contra a democracia nunca antes vista. A assessoria jurídica da bancada avalia quais providências adotar tanto internamente na Câmara como no STF. E vamos falar com os partidos de oposição. Toda decisão será coletiva no campo jurídico. Não podemos deixar as coisas como estão”, disse Verri ao Radar.

Sobre o impeachment neste momento:

“Vamos analisar. Ainda não enxerguei isso (o impeachment), com o que se passa hoje, mas pode avançar dependendo da reunião com os seis partidos de oposição. É muito cedo para fazer essa análise”.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade