Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Defesa de Lula acusa PGR de agir de má fé no processo da suspeição de Moro

Advogados do ex-presidente apresentaram petição ao STF rebatendo manifestação

Por Mariana Muniz - 6 dez 2019, 19h16

A defesa dos ex-presidente Lula acusa a PGR de agir de má fé para prejudicar o petista no processo que trata da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro e que tramita na 2ª Turma do STF.

No pedido, os advogados do petista afirmam que a manifestação da PGR é “factualmente incorreta” porque desconsidera o parecer da ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge, sobre as mensagens divulgadas pelo portal The Intercept.

“A Procuradoria Geral da República, por erro ou má-fé, desconsiderou essa manifestação anterior para trazer uma nova manifestação aos autos sobre o mesmo assunto, causando tumulto processual”, apontam.  Por isso, pedem que a peça seja “desentranhada” do processo, ou seja, desconsiderada.

Na manifestação encaminhada pelo subprocurador-geral da República José Adonis ao ministro Edson Fachin, a PGR pede a rejeição dos novos requerimentos apresentados pela defesa do ex-presidente Lula, nos quais aponta suspeição de Moro. 

Publicidade

“Como pode a Procuradoria Geral da República sustentar que tal material seja desconsiderado — contrariando até mesmo manifestação
anterior do Procurador Geral da República?”, questiona a defesa, para quem a manifestação da PGR “é extemporânea e objetiva apenas tumultuar o bom andamento” do HC.

Os advogados ainda pedem a retomada do julgamento da suspeição pelo STF.

Publicidade