Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Correios voltam atrás e revogam redução nos salários da diretoria

Seis meses após decidir reduzir em mais de 30% salário dos diretores, o conselho de administração dos Correios voltou atrás. No fim do mês passado, revogou a medida aprovada em novembro, que geraria economia mensal de cerca 110 mil reais. Os valores tinham sido reduzidos a 27.841 reais mensais.  Agora, o presidente volta a ganhar 46 mil reais […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h33 - Publicado em 8 jun 2016, 09h04
Correios: Volta como estava

Correios: Volta como estava

Seis meses após decidir reduzir em mais de 30% salário dos diretores, o conselho de administração dos Correios voltou atrás. No fim do mês passado, revogou a medida aprovada em novembro, que geraria economia mensal de cerca 110 mil reais.

Os valores tinham sido reduzidos a 27.841 reais mensais.  Agora, o presidente volta a ganhar 46 mil reais por mês, e os vice-presidentes, 40 mil reais.

O argumento é que, para atrair executivos de mercado para as funções, era preciso alinhar os salários aos praticados no mercado.

A decisão tinha ocorrido em meio ao caos financeiro da estatal, que encerrou 2015 com 2,1 bilhões de reais de prejuízo, e está sob risco de não ter dinheiro para pagar as despesas correntes deste ano.

(Atualizado em 9/jun às 12h54 para incluir o posicionamento dos Correios: “Os Correios esclarecem que o retorno do pagamento dos honorários dos dirigentes da empresa, além de ter sido uma decisão para equiparar os rendimentos do presidente e dos vice-presidentes da estatal com os praticados na Administração Indireta e outras empresas públicas vinculadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, não compromete o orçamento encaminhado ao Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – DEST, departamento responsável por determinar as políticas e diretrizes para as empresas estatais do Brasil.”)

Continua após a publicidade

Publicidade