Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Cassado pelo TSE, Francischini diz que vai voltar à PF e recorrer ao STF

O deputado estadual mais votado do Paraná em 2018 foi condenado nesta quinta por disseminar fake news durante a campanha

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 28 out 2021, 13h29 - Publicado em 28 out 2021, 13h24

O deputado estadual pelo Paraná Fernando Francischini disse que irá recorrer ao STF da decisão tomada nesta quarta pelo TSE de cassar seu mandato e tornar-lhe inelegível até 2026. O motivo foi a disseminação de fake news durante a campanha de 2018. O então candidato a deputado fez uma transmissão ao vivo no dia do pleito na qual colocou em dúvida o processo eleitoral brasileiro. Apesar da desconfiança nas urnas eletrônicas, ele foi eleito com 427.749 votos, tendo sido o mais votado para assembleia do Paraná naquele ano.

Conhecido também como Delegado Francischini, o deputado agora cassado afirmou que voltará aos quadros da Polícia Federal. Ele disse, contudo, que não desistirá de reaver seu mandato. “Dia triste, mas histórico na luta pelas liberdades individuais. Sempre fui um deputado combativo e com honestidade de propósitos. Lutei contra a corrupção para retomarmos o nosso país. Eu lamento demais essa decisão que afeta mandatos conquistados pela vontade do eleitor”, disse. “Nós vamos recorrer e reverter essa decisão no STF, preservando o voto e a vontade de meio milhão de eleitores paranaenses”.

 

Publicidade