Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carvalhosa vai à OEA por voto impresso

"O registro impresso é condição sine qua non e de natureza principal em relação à vontade popular"

Por Da Redação 29 jan 2018, 17h51

O advogado Modesto Carvalhosa recorreu à Organização dos Estados Americanos (OEA) para alertar quanto a necessidade em se adotar o voto impresso nas eleições deste ano. 

“O Brasil insiste há anos em não seguir os rumos que países com mais estrutura financeira e com menores índices de desigualdade e problemas de corrupção adotam”, diz em petição de 24 páginas, elencando casos em que houve supostas fraudes eleitorais no país. 

Carvalhosa acredita que, com o voto eletrônico, “a única garantia […] é a palavra do próprio TSE”.

“O registro impresso é condição sine qua non e de natureza principal em relação à vontade popular, pois constitui o elemento de comprovação de segurança do sistema eleitoral”, defende.

 

Continua após a publicidade
Publicidade