Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro mexe na cúpula da Abin

Frank Márcio de Oliveira foi exonerado para dar lugar a Carlos Afonso Gonçalves Gomes Coelho

Por Robson Bonin Atualizado em 25 nov 2021, 13h12 - Publicado em 25 nov 2021, 08h16

No dia em que a Abin, o serviço secreto brasileiro, autorizou mais uma leva de viagens de agentes em missão sigilosa ao exterior, Jair Bolsonaro trocou o diretor adjunto da agência.

Frank Márcio de Oliveira foi exonerado para dar lugar a Carlos Afonso Gonçalves Gomes Coelho, delegado da Polícia Federal, que atuou como assessor especial da Secretaria de Governo da Presidência da República entre janeiro e julho de 2019.

De saída, Frank chegou a ser indicado por Augusto Heleno a Bolsonaro para assumir o comando do serviço secreto quando o presidente tentou pendurar Ramagem na Polícia Federal, durante a guerra com Sergio Moro no ano passado.

Ele será adido de Inteligência na Índia.

ATUALIZAÇÃO, 13H07 — A Abin entrou em contato com o Radar para informar que o novo diretor não atuou na campanha de Jair Bolsonaro em 2018. A correção já foi realizada. 

Continua após a publicidade

Publicidade