Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bancada da Bala pressiona e terá exposição de exaltação à PM na Câmara

Após destruição de placa, deputados policiais querem mostrar que categoria também é alvo de violência "de jovens negros. E de branco também." Em fevereiro.

Por Evandro Éboli Atualizado em 2 dez 2019, 12h10 - Publicado em 2 dez 2019, 11h10

Deputados da Bancada da Bala permanecem indignados com a exposição pela Dia da Consciência Negra instalada no corredor principal da Câmara.

Não suportaram a volta do painel com a cena de um jovem negro, algemado,  executado por um policial militar, que tinha sido destruída pelo Coronel Tadeu (PSL-SP).

Esse grupo pediu a Rodrigo Maia que antecipasse o final da exposição, que vai até 18 de dezembro, mas foi negado.

Mas, depois de muita pressão,  a bancada obteve o compromisso de que poderá fazer sua exposição de exaltação ao trabalho da Polícia Militar. Será em fevereiro e no mesmo espaço nobre.

Esses deputados conversam com os responsáveis pela curdoria de exposição.

Os deputados Subtenente Gonzaga (PDT-MG) e Sargento Gurgel (PSL-RJ) participam dessas tratavias.
Gurgel disse que um dos motes da exposição será a PM como vítima de ações de bandidos. E criticou a imagem exposta na Câmara.

“Aquele quadro é uma afronta, um absurdo, um desrespeito com a instituição. Agora, vamos mostrar a vitimização do policial no Brasil. Vamos desfazer essa imagem da esquerda de que o policial é um assassino. A PM também é vítima. Vamos mostrar que policiais negros são mortos por jovens negros, e brancos também”, disse Gurgel, que é coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Vida do Policial.

Para organizar o evento, Gurgel vai pedir ajuda à Secretaria de Vitimização  Policial, criado pelo governador Witzel para atender policiais vítimas de violência.

 

Continua após a publicidade
Publicidade