Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Arthur Virgílio revida ofensa de Bolsonaro a FHC com ataque a Salles

'Bolsonaro o chamou levianamente de vagabundo, rebato apontando todos os dias, um vagabundo do governo dele', diz o tucano

Por Robson Bonin 24 Maio 2021, 12h15

Nome lembrado nas prévias do PSDB ao Planalto, o tucano Arthur Virgílio decidiu responder aos ataques de Jair Bolsonaro contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, por causa do encontro com Lula.

Bolsonaro chamou FHC de vagabundo. Para Virgílio, o presidente não teria envergadura moral para falar do ex-presidente.

“Fui ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência e duas vezes líder do governo Fernando Henrique. Sinto-me responsável por seu legado. FHC fez o Plano Real, Lei de Responsabilidade Fiscal, a primeira geração de reformas estruturais. É livre pra se reunir com quem quiser. Não deve satisfações a Bolsonaro”, diz Virgílio.

Acaba sobrando para Ricardo Salles, o ministro do Meio Ambiente que foi alvo recentemente de uma ação da Polícia Federal.

“Se Bolsonaro o chamou levianamente de vagabundo, rebato apontando todos os dias, um vagabundo do governo dele. Começo com Ricardo Salles, ironicamente ministro do Meio Ambiente. Um ser nocivo ao país. Agride a floresta, apoia o garimpo ilegal e faz negociatas com grandes empresas que sonham implantar o agronegócio no coração da Amazônia”, segue Virgílio.

Continua após a publicidade
Publicidade