Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Agnelo sob vigilância

Pegou muito mal para Agnelo Queiroz a demissão em massa da cúpula da Polícia Civil do DF. Gente graúda no Judiciário enxergou o óbvio na decisão: uma tentativa de inviabilizar o trabalho da polícia, responsável pelas investigações que revelaram a ligação de Agnelo com João Dias, o delator do esquema de corrupção do Esporte. A […]

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2017, 20h16 - Publicado em 4 nov 2011, 17h19

Estão de olho nele

Pegou muito mal para Agnelo Queiroz a demissão em massa da cúpula da Polícia Civil do DF. Gente graúda no Judiciário enxergou o óbvio na decisão: uma tentativa de inviabilizar o trabalho da polícia, responsável pelas investigações que revelaram a ligação de Agnelo com João Dias, o delator do esquema de corrupção do Esporte.

A leitura de quem transita nesse meio é de que Agnelo está sob vigilância e corre risco de trilhar o mesmo caminho de José Roberto Arruda, caso seja flagrado utilizando o cargo para eliminar provas de supostas irregularidades. No meio político, a opinião não é diferente. Veja Demóstenes Torres:

— O Agnelo quer transformar a polícia do DF em uma polícia política. Isso é muito perigoso, porque a polícia vai começar a perseguir adversários, forjar provas a favor do governador e até eliminar evidências produzidas contra ele.

Publicidade