Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A lista de suspeitos do assassinato de Marielle fica menor

Operação deflagrada nesta terça contra o Escritório do Crime da milícia ajuda a afastar o envolvimento dos bandidos com o caso

Por Mariana Muniz - Atualizado em 30 jun 2020, 13h40 - Publicado em 30 jun 2020, 13h06

A operação deflagrada pela Polícia Civil e o Ministério Público do Rio nesta terça-feira contra a milícia conhecida como “Escritório do Crime” vai ajudar a reduzir a lista de suspeitos do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018.

O Escritório do Crime estava em uma das primeiras linhas de investigação do assassinato. Mas a conclusão a que a Polícia chegou, com o inquérito, é de que os milicianos não tiveram participação na morte da investigadora.

ASSINE VEJA

Wassef: ‘Fiz para proteger o presidente’ Leia nesta edição: entrevista exclusiva com o advogado que escondeu Fabrício Queiroz, a estabilização no número de mortes por Covid-19 no Brasil e os novos caminhos para a educação
Clique e Assine

Isso porque a Polícia agora sabe que esses criminosos teriam, na mesma noite do dia 14 de março, participado de outro assassinato – ligado à máfia das máquinas de caça-níquel do Rio.

Uma das consequências das prisões de hoje podem ser eventuais informações que estes dois integrantes do Escritório do Crime tenham a respeito do caso Marielle. Ao menos é o que esperam os investigadores. A conferir.

Continua após a publicidade
Publicidade