Clique e assine com 88% de desconto
Paraná Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba

Em despacho, Moro classifica bloqueio como ‘questionável’ e ‘excessivo’

O juiz da Lava Jato pediu ainda bom senso aos manifestantes e afirmou que população tem sido prejudicada com os protestos nas rodovias

Por Guilherme Voitch - 25 maio 2018, 15h48

Em despacho que cancela audiências programadas para a próxima segunda-feira, 28, o juiz federal Sergio Moro pede “bom-senso” e classifica como “questionável” e “excessivo” o bloqueio de estradas organizado pelos caminhoneiros. O despacho foi publicado nesta sexta-feira, 25, suspendendo as audiências programadas para segunda-feira, sem, no entanto, marcar outra data.

Ao fundamentar sua decisão, o juiz faz algumas considerações sobre o protesto. “Há um movimento de paralisação de motoristas de caminhões nas estradas brasileiras. Há uma pauta de reivindicação legítima da respeitável categoria e que deve ser avaliada pelas autoridades competentes. No entanto, o prolongamento excessivo da paralisação e que inclui o questionável bloqueio de rodovias tem gerado sérios problemas para a população em geral, com prejuízo principalmente para o abastecimento de alimentos e de combustíveis nas cidades.”

No parágrafo final do despacho, o magistrado pede “bom senso”. “Espera-se que prevaleça o bom senso dos envolvidos, com a normalização da situação e antes que ocorram episódios de violência”, diz o juiz.

Publicidade