Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

As 7 mesquitas mais espetaculares do mundo

Local de orações dos muçulmanos, as mesquitas são também exemplos importantes do melhor _e mais belo_ da arquitetura islâmica

Por Tatiana Cunha Atualizado em 30 jul 2020, 20h58 - Publicado em 5 abr 2017, 13h46

Parecia uma cena de filme. Ou um milagre divino.

Estava em Istambul pela primeira vez, a trabalho, e sozinha. Vários amigos que já conheciam a cidade me disseram que eu não teria problema em alugar um carro e chegar ao hotel, mesmo sem GPS (naquela época Waze não existia ainda).

Aluguei meu carro no aeroporto, dei uma olhada no mapa e o trajeto realmente me pareceu fácil. Era de tarde e o trânsito começava a ficar intenso (quem conhece a Turquia sabe que o trânsito de lá pode ser comparado ao da China e ao de São Paulo, facilmente). E lá fui eu.

Até chegar à cidade não tive problemas. Grandes avenidas, placas, tudo tranquilo. Mas aí cheguei na parte mais antiga da cidade e onde ficava meu hotel. Começava a escurecer, eu estava cansada do voo e as placas desapareceram. As ruas ficaram estreitas, de mão única e era como se eu tivesse entrado num labirinto. Tinha a sensação de estar andando em círculos (e provavelmente estava mesmo).

Tentei pedir informações na rua, sem sucesso. Estava sem chip de celular local, ou seja, sem telefone nem internet (o que ainda era meio luxo na época). O tempo passava e começou a bater o desespero. Estacionei, olhei mais uma vez no mapa e lá fui eu para mais uma tentativa.

Direita, esquerda, curva estreita. Freada brusca para deixar o caminhão passar. Mais uma quebrada à direita, avisto uma grande praça. Estava no mapa! Viro à esquerda, passo por uma espécie de mini túnel, mais uma virada e… avisto meu hotel. No mesmo instante começo a ouvir aquele canto, quase hipnótico, vindo dos minaretes da Mesquita Azul (Sultanahmed), que estava apenas algumas quadras dali (depois soube que ele se chama azan).

Só no dia seguinte, quando estava a caminho do autódromo (onde ia trabalhar), é que me deparei com a beleza e a grandiosidade da mesquita. Nunca tinha estado em um país de maioria muçulmana antes e fiquei fascinada.

Apesar de ter voltado a Istambul outras quatro vezes, nunca tinha tido tempo de visitar a mesquita. Até tirar uma semana de férias por lá e finalmente conhecê-la em todo seu esplendor.

Inspirada nisso, fiz uma lista com sete das mais linda mesquitas espalhadas pelo mundo. Conhece alguma que merecia estar nesta lista?

Uma dica: vale prestar atenção nas vestimentas exigidas para entrar em algumas das mesquitas (nada de decotes, bermudas e afins) e nos horários, já que muitas não permitem visitas durante as orações.

 

1. Sultanahmet (Mesquita Azul)

Istambul, Turquia

Como eu falei acima, a Sulthanahmet foi a primeira mesquita que conheci. E fiquei encantada. Ela é tão linda e impressionante por dentro como é por fora. Completada em 1616 e localizada no alto de Istambul, é possível ver a Mesquita Azul de vários pontos da cidade, inclusive do estreito de Bósforo. Um dos melhores exemplos da arquitetura clássica otomana, ganhou este apelido por conta dos mosaicos azuis que revestem seu interior. Apesar de ser um dos maiores pontos turísticos da cidade, ainda funciona normalmente como mesquita.

OndeSultan Ahmet Mahallesi,  Meydanı 7

Quando: só fecha cerca de meia hora antes das seis orações diárias

Quanto: gratuito

 

2. Sheikh Zayed

Abu Dhabi, Emirados Árabes

De estilo completamente diferente da mesquita turca, mas não menos imponente, a Grande Mesquita de Abu Dhabi chama a atenção de quem vai do aeroporto para a cidade. Como não poderia ser diferente em um lugar que tem o luxo como marca registrada, a mesquita local é um grande exemplo disso. Toda feita em mármore branco, com lustres de ouro de 24K, abriga o maior tapete do mundo, assim como o maior mosaico de mármore do planeta. Construída entre 1996 e 2007 numa área de 12 hectares, pode receber até 41 mil fiéis. O melhor horário para visitar é no por do sol, quando o colorido de céu contrasta com o gigantesco edifício branco.

OndeSheikh Rashid Bin Saeed Street, 5th St

Quando: de sábado a quinta, das 9h às 22h e sextas das 16h30 às 22h

Quanto: gratuito

 

3. Jama Masjid

Nova Déli, Índia

Principal e maior mesquita da Índia, a Jama Masjid  foi construída em 1656 e acomoda mais de 25 mil fiéis. Chegar a ela é uma aventura por si só, já que ela fica na parte antiga de Déli e é preciso paciência e uma dose de espírito aventureiro para cruzar as ruelas imundas e lotadas que a rodeiam. Mas o trajeto é recompensado pelo prédio enorme com três enormes portais, quatro torres e dois minaretes de 40 m de altura.

Continua após a publicidade

OndeMeena Bazaar, Jama Masjid, Chandni Chowk

Quando: diariamente, das 7h às 12h e das 13h30 às 18h30

Quanto: gratuito (mas certamente alguém vai te cobrar por alguma coisa, como sempre acontece na Índia)

 

4. Mesquita de Córdoba

Córdoba, Espanha

Construída no lugar de uma basílica cristã, a mesquita de Córdoba foi completada em 987. Séculos depois, voltou a ser usada como igreja em 1236. No século 16, uma pequena catedral renascentista foi encravada no meio do prédio, mas sem mascarar seu caráter mouro. Hoje em dia o complexo é o ponto turístico mais importante da cidade e representa a arquitetura de Andalucia ao lado da Alhambra. É considerada patrimônio histórico da humanidade e também foi nomeada um dos 12 tesouros da Espanha em 2007. Sua característica mais famosa são os arcos em bege e laranja.

Onde:Calle del Cardenal Herrero, 1

Quando: de novembro a fevereiro, de segunda a sábado, das 8h30 às 18h, domingos e feriados, das 8h30 às 11h30 e das 15h às 18h; de março a outubro, de segunda a sábado, das 10h às 19h, domingos e feriados, das 8h30 às 11h30 e das 15h às 19h

Quanto: € 10 (adultos) e € 5 (crianças)

 

5. Al Haram

Meca, Arábia Saudita

Também conhecida como a Grande Mesquita, é o maior centro de peregrinação do mundo, e lugar mais sagrado do Islamismo. Não por acaso é também a maior mesquita do mundo, com mais de 86 mil metros quadrados e capacidade de abrigar mais de 2 milhões de fiéis de uma vez. No centro do pátio esta a Caaba, onde está guardado o Hajar el Aswad (a Pedra Negra), a relíquia mais sagrada do Islã.

Onde: Meca

Quando: só aberta para muçulmanos

 

6. Al Aqsa

Jerusalem, Israel

Terceira maior mesquita do mundo e uma das mais famosas, a Al Aqsa é o terceiro lugar mais sagrado para o Islã. A mesquita fica no Monte do Templo, também conhecido como Nobre Santuário, que abriga ainda o Domo da Rocha. O local é também o mais sagrado do judaísmo. É a maior mesquita de Jerusalem e tem capacidade para cerca de 5 mil pessoas. Sua planta se parece com a de uma basílica, com uma nave central e seis naves laterais. Um de seus destaques é a cúpula folheada a prata.

Onde: Monte do Templo

Quando: De domingo a quinta, das 7h às 11h e das 13h30 às 14h30 

Quanto: gratuito

 

7. Hassan II

Casablanca, Marrocos

Maior mesquita do Marrocos e sétima maior do mundo, a Hassan II foi concluída em 1993 e é parad obrigatória para quem visita Casablanca. Sua principal característica é o minarete de 60 andares e 210 m de altura, o maior do mundo. Lá no alto, um laser aponta na direção de Meca. Localizada na beira do Oceano Atlântico, é possível ver o mar de seu hall de entrada graças ao chão de vidro do local. A mesquita pode receber até 105 mil fiéis por vez, sendo 25 mil na parte interna.

OndeBlvd Sidi Mohammed ben Abdallah

QuandoTours de setembro a junho, sábado a quinta (9h, 10h, 11h e 14h) e sexta (9h e 14h); de julho a agosto, todos os dias (14h30)

Quanto: 120 dh (adultos), 60 dh (estudantes) e 30 dh (menores de 11 anos), pelo tour

Continua após a publicidade

Publicidade