Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

A preocupação do PT com o 7 de setembro

Partido apreensivo com a utilização de mais um símbolo pátrio por bolsonaristas após eles capturarem outras marcas nacionais

Por Matheus Leitão Atualizado em 25 ago 2021, 17h58 - Publicado em 25 ago 2021, 17h29

Depois de se apropriarem da bandeira nacional, das cores verde e amarela e da camisa da seleção brasileira, os bolsonaristas se preparam para usar o dia 7 de setembro como se a data fosse um sinônimo de manifestação de todos que apoiam o governo.

O Partido dos Trabalhadores (PT) vê a estratégia com preocupação e acredita que a associação de uma data tão importante com discursos que vão contra a democracia é algo muito ruim para o Brasil. Interlocutores da legenda afirmaram à coluna que essa apropriação de um certo discurso nacionalista é, obviamente, característico de regimes que buscam o autoritarismo.

Enquanto tentam se colocar como defensores da democracia, os apoiadores do presidente mostram, na prática, que não cumprem seu dever de proteção nacional e de proteção da constituição. Não se importam em inflamar os manifestantes a irem para o confronto para defender suas ideias.

Para o PT, quem trabalha no campo democrático não pensa em criar atritos ou embates de rua. No entanto, os discursos de quem organiza as manifestações do próximo dia 7 está cada vez mais distante disso, principalmente quando se voltam para as polícias militares.

Nesse ponto, o partido elogia a atuação dos governadores, que decidiram se reunir para conversar sobre os protestos que estão programados. Na visão do partido, eles são um contraponto público importante para mostrar que os manifestantes não farão o que quiserem.

Continua após a publicidade

O próprio presidente Jair Bolsonaro não pode achar que, por ter tido votos nas eleições, tem o direito de atacar instituições. Ele não foi eleito para isso. Da mesma forma, os governadores tiveram votos para protegerem a constituição e resguardarem a paz em seus estados.

Para os petistas, o ato convocado pelo presidente é uma das últimas cartadas para tentar um fôlego diante do isolamento do atual governo. Apesar da tentativa, os brasileiros – independentemente de serem de esquerda ou não – já não aguentam mais.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) afirma que o brasileiro tem tido tantas dificuldades em seu cotidiano para pagar suas contas e vencer os desafios que está cansado de ver um presidente que simplesmente não consegue resolver a situação. Pelo contrário, cria o caos permanente no país.

“Qualquer pessoa que tenha apreço pela vida, pela democracia, pelo respeito às instituições, qualquer brasileiro que queira viver em paz sabe que isso não virá com Bolsonaro, não com esta linha política no poder”, acredita a deputada.

Bolsonaro e seus apoiadores estão cansando o Brasil. Enquanto colocam a manifestação como o evento público mais importante dos últimos tempos, a população sofre com o desemprego, com a falta de perspectivas e com o descaso do poder público. Não se sabe ainda quem vai participar dos atos de 7 de setembro, mas já se sabe que milhões de brasileiros permanecerão em suas casas com o real problema para resolver.

Continua após a publicidade
Publicidade