Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Se não assumir a Saúde, Osmar Terra tentará a presidência da Câmara

Emedebista gaúcho engrossaria lista de possíveis candidatos 'de Bolsonaro' na disputa; ele, no entanto, não é unanimidade nem mesmo na bancada do MDB

Por João Pedroso de Campos - Atualizado em 15 maio 2020, 10h48 - Publicado em 15 maio 2020, 10h41

Se não tiver sucesso em sua incursão junto à ala militar do governo para assumir o Ministério da Saúde no lugar do desprestigiado Nelson Teich, o deputado Osmar Terra (MDB-RS) já tem uma alternativa com que se ocupar. Em seu sexto mandato na Câmara, o ex-ministro decidiu que se lançará à disputa pela presidência da Casa, que será em frevereiro de 2021.

Será mais um a engrossar a fila de possíveis candidatos “de Bolsonaro” na sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que já tem os deputados Arthur Lira (PP-AL), estrela do Centrão, e Marcos Pereira (SP), do Republicanos, partido ao qual se filiaram Carlos e Flávio Bolsonaro, assim como a mãe deles, Rogéria.

Aliados de Terra afirmam que, caso não assuma mesmo a pasta da Saúde, sua candidatura será colocada na rua com ou sem o apoio do Centrão – o que seria mesmo improvável, diante das articulações de Lira e Pereira. Até mesmo uma candidatura de Maia à reeleição, que dependeria de uma mudança na Constituição, não está descartada. No caso de Terra, no entanto, concorrer ao posto não será uma costura simples. Ele passa longe de ser unanimidade até mesmo dentro da bancada do MDB e sua postura sobre a pandemia de coronavírus, que ecoa a de Jair Bolsonaro, tem desagradado a deputados emedebistas.

Publicidade