Clique e assine com até 92% de desconto
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

São Paulo: Covas lidera com 30,8%, e Boulos fica à frente de Russomanno

Segundo o Paraná Pesquisas, a três dias da eleição, dirigente de movimento sem-teto tem 15,2% contra 12,9% do candidato apoiado por Bolsonaro

Por Da Redação Atualizado em 13 nov 2020, 11h35 - Publicado em 13 nov 2020, 10h14

A três dias da eleição, o prefeito Bruno Covas (PSDB) lidera isolado a corrida pela prefeitura de São Paulo, com 30,8% das intenções de voto, segundo levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 12 e 13 de novembro.

Na disputa para ver quem irá enfrentá-lo no segundo turno, o dirigente do MTST (movimento sem-teto) Guilherme Boulos (PSOL) aparece numericamente à frente de seus principais perseguidores: ele tem 15,2% contra 12,9% do deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) e 11,8% do ex-governador Márcio França (PSB).

Como a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, Boulos, Russomanno e França estão tecnicamente empatados.

Os candidatos Guilherme Boulos (PSOL), Celso Russomanno (Republicanos) e Márcio França (PSB), que disputam vaga no segundo turno Reprodução/Reprodução

Distante desse bloco aparecem os candidatos Arthur do Val (Patriota), com 5,2%, Jilmar Tatto (PT), com 3,5%, Andrea Matarazzo (PSD), com 2,4%, e Joice Hasselmann (PSL), com 1,8%. Os demais candidatos não atingiram um ponto percentual.

Entre os entrevistados, 6,3% não souberam ou não responderam e 8,9% disseram que votariam em branco ou nulo. Foram entrevistados por telefone 1.000 eleitoes e a pesquisa foi registrada sob o nº SP-09079/2020.

Rejeição

Em relação à pesquisa anterior, divulgada no dia 3 de novembro, Russomanno foi o único dos cinco primeiros candidatos a oscilar negativamente: ele tinha 19,5%, o que significa que perdeu quase sete pontos percentuais.

Outro problema para o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro é que ele é disparado o mais rejeitado pelo eleitorado paulistano: 45,3% disseram que não votariam nele de jeito  nenhum.

Na sequência aparecem Boulos (27,8%), Joice (23,6%), Covas (23,2%), Tatto (16,9%), Arthur do Val (14,4%), Levi Fidelix, do PRTB, com 13,4%, Márcio França (12,8%), Orlando Silva, do PCdoB (12,6%), Matarazzo (12,5), Marina Helou, da Rede (11,5%), Vera Lúcia, do PSTU (11%) e Antonio Carlos, do PCO (10,2%).

Continua após a publicidade
Publicidade