Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

Chile vai escolher entre extremistas, com crise no horizonte

Candidatos favoritos levaram o extremismo quase ao limite na campanha eleitoral. Quem vencer terá dificuldades para governar

Por José Casado Atualizado em 20 nov 2021, 04h09 - Publicado em 20 nov 2021, 09h00

Entre extremos, o Chile vai às urnas amanhã. Há sete candidatos e, pelas pesquisas, os representantes das ultras esquerda e direita são favoritos.

Com Gabriel Boric extrema esquerda capitaneia uma frente eleitoral montada com ajuda do Partido Comunista.

Disputa com José Antonio Kast, líder da extrema direita que se agrupou em torno do Partido Republicano.

Kast, um admirador de Jair Bolsonaro, tem avançado nas intenções de voto há várias semanas de forma consistente.

Há quem aposte em supresa, com ascensão de um moderado. Não é impossível, mas pouco provável, indicam as pesquisas.

O problema dos favoritos, Boric e Kast, é que levaram o extremismo quase ao limite na campanha. E tudo indica que, vencendo, qualquer um deles terá grande dificuldade para governar. Já é visível a crise no horizonte pós-eleitoral chileno.

Continua após a publicidade

Publicidade