Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Isabela Boscov Por Coluna Está sendo lançado, saiu faz tempo? É clássico, é curiosidade? Tanto faz: se passa em alguma tela, está valendo comentar. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Novo “Mamma Mia!” dá bis no clima alegrinho

No papel que foi de Meryl Streep, a fofa Lily James carrega o filme -- com uma ajuda de Cher

Por Isabela Boscov 4 ago 2018, 17h49

Dependendo do freguês, musicais podem ser a) uma das definições possíveis de tortura; b) as duas horas mais deliciosas que alguém pode passar no cinema. Para esse segundo grupo, aquele que dez anos atrás já adorou a história costurada por músicas do Abba de como Amanda Seyfried tentava descobrir se seu pai era Pierce Brosnan, Colin Firth ou Stellan Skarsgard (a mãe dela, Meryl Streep, definitivamente era uma mulher de sorte), esta continuação quer, primeiro, garantir que tudo que deu certo no original ganhe bis – e, segundo, sacudir um pouco com as coisas com uma nova protagonista. Fazendo a jovem Meryl Streep, entra em cena a esfuziante, graciosa, cativante e muito boa cantora Lily James (quem viu Downton Abbey a conhece como Lady Rose), que, no verão de 1979, a caminho da Grécia, conhece três rapazes muito charmosos, namora um pouco com cada um deles e… nunca vai saber quem é o pai da sua menina. E dá-lhe Abba, desde canções menos conhecidas às faixas obrigatórias; dá-lhe também lindas paisagens, gente bonita e ótimos coadjuvantes. Mas o ponto alto de Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo é mesmo a aparição de Cher, demonstrando que isso de ser diva é para quem pode – e é também cargo vitalício.

Assista aqui o video com a resenha:

 

Publicidade