Clique e assine a partir de 9,90/mês
Caçador de Mitos Por Leandro Narloch Uma visão politicamente incorreta da história, ciência e economia

A direita que é de esquerda (e vice-versa)

Por Leandro Narloch - Atualizado em 31 jul 2020, 01h59 - Publicado em 4 mar 2015, 10h35

A deputada francesa Marine Le Pen, que é de direita, disse a VEJA que é contra a tirania do comércio global e “preza o Estado-nação, o nacionalismo econômico, a independência diplomática em relação aos Estados Unidos”. No Brasil, quem recentemente defendeu essa opinião foi…

Luiz Carlos Bresser-Pereira, de esquerda. No pouco que dá pra entender de sua entrevista na Folha de domingo, o economista reclama que “tudo foi comprado pelas multinacionais”, durante um profundo “processo de desnacionalização” que levou ao “paraíso da não-nação”. Seu nacionalismo é o mesmo de…

Jair Bolsonaro, talvez o máximo que alguém consegue chegar à direita no Brasil. Ao afirmar que FHC “entregou o patrimônio nacional” ao privatizar a Vale do Rio Doce, Bolsonaro repete o que diz o…

Partido da Causa Operária (PCO), talvez o máximo que alguém consegue chegar à esquerda no Brasil. O PCO defende a criação de estatais e a proteção à indústria nacional, assim como…

Continua após a publicidade

O presidente Ernesto Geisel, de direita. Geisel concedeu empréstimos generosos para grandes empresas nacionais, descuidou da inflação e aumentou barreiras comerciais, medidas que décadas depois foram copiadas por…

Dilma Rousseff, de esquerda. O partido de Dilma é contrário à austeridade fiscal, privatizações e o livre comércio entre os povos, assim como o…

Syriza, partido de extrema-esquerda vitorioso nas eleições gregas que, na França, recebeu o apoio de…

Marine Le Pen.

Continua após a publicidade

 

@lnarloch

Publicidade