Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Presidente do Bahia entra na bolsa de apostas para sucessão de ACM Neto

Guilherme Bellintani comandou três secretarias na gestão de prefeito de Salvador e também é citado como candidato de Rui Costa à prefeitura

Por Rodrigo Daniel Silva 6 dez 2018, 19h00

Eleito presidente do Esporte Clube Bahia, o empresário Guilherme Bellintani entrou na bolsa de apostas para ser candidato na sucessão do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), em 2020. Além disso, tem sido cotado para ser postulante tanto pelo grupo do democrata soteropolitano quanto pelo do governador reeleito Rui Costa (PT).

Aos 41 anos, Bellintani virou presidente de clube tricolor após comandar três secretarias na gestão de ACM Neto: Cultura e Turismo; Educação e Desenvolvimento Urbano. Na época, o desempenho do empresário chamou a atenção do governador, que enviou um aliado para sondar a possibilidade de Bellintani aceitar um cargo no governo.

O empresário, no entanto, recusou o convite por entender que soaria mal a mudança de lado. Apesar disto, Bellintani tem sido citado como um possível candidato de Rui Costa para prefeitura de Salvador.

Na campanha para presidência do Esporte Clube Bahia, o empresário teve o apoio de Sidônio Palmeira, que é marqueteiro do PT ligado ao ex-governador da Bahia e senador eleito, Jaques Wagner (PT). Neste cenário, comenta-se que Sidônio tem tentado seduzir Bellintani para entrar na base petista.

Por outro lado, o prefeito não descartou a aliados a hipótese de Bellintani ser o seu candidato, embora ACM Neto veja o vice-prefeito, Bruno Reis (DEM), como seu sucesso natural. Segundo apurou a reportagem, Neto até já discutiu com o presidente do Esporte Clube Bahia a hipótese dele ser candidato em 2020.

Na entrevista que concedeu a VEJA, o prefeito soteropolitano disse que Bruno é um dos nomes do grupo, mas avisou que o vice terá que viabilizar sua candidatura. Perguntado pela reportagem se poderia falar sobre a eleição de 2020, Bellintani despistou e disse que “só se for a eleição do Bahia em 2020”.

Foi, então, questionado: “então, o senhor é candidato à reeleição [à presidência do Bahia]”. Respondeu: “brincadeira”. “Não estou pensando em nada além desse meu mandato no Bahia”, acrescentou.

Continua após a publicidade

Publicidade