Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Vejam o tapa na cara do Brasil decente

Na manhã de 28 de junho, a jornalista Márcia Pache tentou entrevistar no Centro Integrado de Segurança e Cidadania de Pontes e Lacerda, em Mato Grosso, o vereador Lourivaldo Rodrigues de Morais, vulgo Kirrarinha. Candidato a deputado estadual pelo DEM e corrupto juramentado, Kirrarinha acabara de apresentar sua versão para mais um dos tantos casos […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 13h26 - Publicado em 5 dez 2010, 21h45

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=wo1aP8O1lSc?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=425&h=344%5D

Na manhã de 28 de junho, a jornalista Márcia Pache tentou entrevistar no Centro Integrado de Segurança e Cidadania de Pontes e Lacerda, em Mato Grosso, o vereador Lourivaldo Rodrigues de Morais, vulgo Kirrarinha. Candidato a deputado estadual pelo DEM e corrupto juramentado, Kirrarinha acabara de apresentar sua versão para mais um dos tantos casos de polícia que protagoniza. A repórter da TV Centro Oeste, vinculada ao SBT, queria saber o que havia alegado.

Só conseguiu pronunciar quatro palavras: “Vereador, o senhor fala…”. Antes que a pergunta fosse formulada, Kirrarinha interrompeu com uma bofetada no rosto de Márcia. Ninguém por perto defendeu a vítima da agressão absurda. Fora a própria repórter, ninguém pareceu perplexo com o tapa na cara da liberdade de imprensa e do Brasil decente.

As sucessivas manobras forjadas para silenciar o jornalismo independente vão ganhando adeptos em todos os partidos. Em todos existem delinquentes que sonham com a imprensa domesticada. Em todos existem devotos do arbítrio incapazes de praticar o convívio dos contrários ou tolerar divergências. Kirrarinha pode alegar que a bofetada foi a fórmula que escolheu para exercer o controle social da mídia.

Enquanto o repórter Bruno Abbud investiga os desdobramentos do caso, a coluna antecipa a divulgação do vídeo de 44 segundos enviado pela comentarista Naná. Não sabia da história nem tinha visto as imagens. Acabei de ver. Nunca o Brasil me pareceu tão cafajeste.

PS: O timaço de comentaristas está em ótima forma. Nossa Lilian acaba de mandar outro vídeo mostrando que o Netinho de Paula mato-grossense é reincidente. Confiram. É ainda mais repulsivo que o primeiro. E o depoimento do delegado comprova que a cidade não tem delegado.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Ss7Uc7f6X5g?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=425&h=344%5D

Continua após a publicidade
Publicidade