Clique e assine a partir de 8,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Reynaldo-BH: O PT está desesperado por ter percebido como será o segundo turno

REYNALDO ROCHA Nunca se viu tamanho desespero como o que demonstrado neste segundo turno por parte do PT. Para além das notícias diárias do desastre a que estamos submetidos – previsões de crescimento pífio, saída de capitais e ânimo dos investidores quando se configura a derrota de Dilma – outras surgem. A delação de Paulinho […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 31 jul 2020, 02h54 - Publicado em 9 out 2014, 02h16

REYNALDO ROCHA

Nunca se viu tamanho desespero como o que demonstrado neste segundo turno por parte do PT.

Para além das notícias diárias do desastre a que estamos submetidos – previsões de crescimento pífio, saída de capitais e ânimo dos investidores quando se configura a derrota de Dilma – outras surgem.

A delação de Paulinho de Lula nominando o PT como beneficiário dos desvios da Petrobras, citando José Eduardo Dutra, aliados do mesmo naipe (como PMDB e PP) e dinheiro vivo dos assessores de campanha de Fernando Pimentel num avião de uma empresa de capital social de R$ 2.000,00 ─ nada disso é novidade. É a prática do PT.

Só agora Lula e afilhados (postes e oportunistas) perceberam que o efeito teflon chegou ao fim. As denúncias passaram a ser ouvidas e analisadas por todos. A cantilena do “não sabia” desapareceu. Continua existindo no discurso oficial.

Continua após a publicidade

A perda de apoio de TODOS os partidos (incluído o PSOL, que subiu no muro!) envolvidos na disputa do primeiro turno fez o PT descobrir que o feudo que montou precisa ser irrigado com dinheiro de mensalões e petrolões. Some-se a isto o apoio de parte do PMDB (Jarbas Vasconcelos à frente) e de campeões de votos como Pedro Taques (PDT) e Paulo Hartung (PMDB).

A manada que antes trotava junta está agora, já, procurando culpados. O líder maior já está em campanha. Lula tomou uma surra de rabo de tatu! E diz que a culpa é dos “cumpanheiros” que recebem sem trabalhar e mesmo assim não conseguiram sucesso em Pernambuco, no Rio e, principalmente, em São Paulo. O que aconteceu em Minas é reversível. E já na primeira semana depois da eleição do parceiro de Newton Cardoso soubemos do dinheiro vivo (remember Roseana Sarney) em aviões de personagens ligados à seita.

Pouco me importam pesquisas. Aprendi. Mesmo que Aécio apareça com 110%.  Falo do que vejo e ouço nas redes sociais, nas ruas, no trabalho, nas esquinas e de gente desiludida com o “lado de lá”, como sempre quis o PT nesta divisão odiosa do Brasil entre “nós e eles”.

Teremos ao menos três debates. Dilma insistirá no discurso da mentira, atribuindo a Aécio o que nunca afirmou. Mas agora sem qualquer credibilidade. sem convencer os que até recentemente pareciam acreditar no que nós sempre ignoramos.

Dilma terá de defender o desastre e assegurar que a MUDANÇA exigida só poderá ocorrer pela continuidade. Missão impossível. Contar com Lula é expor-se a outras surras históricas.

Aécio já demonstrou que sabe o que fazer e como fazer. Nas redes sociais, lê-se o que denunciamos. E ri-se do que eles dizem.

O desespero é o prenúncio da derrota? Não. É a certeza dela.

Continua após a publicidade
Publicidade