Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Moro é maior que o Ministério da Justiça

Convidar o juiz que simboliza a Lava Jato foi uma boa ideia de Bolsonaro. Recusar o convite será uma ideia ainda melhor

Por Augusto Nunes 31 out 2018, 07h10

Foi animador saber que Jair Bolsonaro gostaria de ter o juiz Sergio Moro no Ministério da Justiça. Com isso, o presidente eleito deixou claro que Operação Lava Jato seguirá seu curso sem interferências do Executivo. Mais animado ainda ficará o Brasil se Moro declinar do convite. Ao menos três razões justificam a recusa:

Primeira: a Operação Mãos Limpas, ocorrida na Itália nos anos 90, começou a perder a força quando seus principais condutores passaram a disputar cargos políticos.

Segunda: como juiz federal, Moro pode combater a corrupção com mais eficácia do que qualquer ministro da Justiça.

Terceira: o PT torce para que Moro se afaste dos casos investigados pela Lava Jato. E tudo o que o PT defende é prejudicial aos interesses e sonhos do país que pensa e presta.

Continua após a publicidade
Publicidade