Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Debatendo o segundo turno das eleições

Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo e o historiador Marco Antonio Villa analisam o cenário político do Brasil com as eleições municipais de 2012: como ficaram os partidos, a situação das lideranças regionais e quem são os grandes vencedores.

Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo e o historiador Marco Antonio Villa analisam o cenário político do Brasil com as eleições municipais de 2012: como ficaram os partidos, a situação das lideranças regionais e quem são os grandes vencedores.

http://videos.abril.com.br/veja/id/48498b3b5ddab909bf9ea78765a9aaf6

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    J4S0N7

    A constatação sombria, talvez não definitiva é que a oposição está morta e enterrada. A oposição não condena de forma contundente as trapaças e roubos praticados pelo PT. A última vez que vi Aécio Neves falar na tribuna do senado aqui em Brasília, Putz! ele não discursava em pé, ele discursava sentado, e parecia não se sentir bem com o que ele mesmo falava. Com opositores desse naipe, o PT não precisa se preocupar com adversários. Em 2014, a tragédia, ao que tudo indica vai se repetir; o PT continuará ocupando o palácio do planalto, porque não temos homens sérios na oposição. Com boa parte da mídia e “institutos de pesquisa” na mão, o PT não tem com o que se preocupar. Aécio Neves, Geraldo Alckmim… qual o nome que a oposição tem para 2014, eu pergunto!! 2014 poderá ser um ano inusitado: eleições nacionais sem oposição.

    Curtir

  2. Comentado por:

    sonia

    GOP. Uma leitura bem simples. John Boehner fala ao lado de alguns partidários. No fundo , um painel impresso com duas legendas “gop.gov” e “american jobs”. Palavras conceitos que pegaram já o bonde foward. Não são empregos para americanos, o foco são empregos americanos e daí questões políticas muitos sofisticadas entram em embate na democracia americana. Do simples ao complexo e mais marcas registradas já se tornam tão famosas como a coca cola. Al Qaed perto do Atlântico em Mali não tem litoral, mas a Mauritânia mulçumana tem.
    O Egito é o país africano mais populoso e as mulheres mulçumanas também estão na praça Tahrir. Dizem :alguns egípcios da irmandade mulçumana estiveram no Afeganistão junto com os talibãs no dia em que um Buda foi demolido. Morsi com amplo apoio da irmandade mulçumana armou um clássico golpe de Estado amparado por uma democracia burocrática com direito a constituição e referendo . Alguns egípcios e egípcias estão dizendo que não é democracia.
    Partidos políticos ou uma irmandade lulista. Cada ano que passa desde 2002 , oposição fica menor em termos relativos. 44 milhões de votos para Serra em 2010, mas para as eleições locais os votos oposicionistas ficaram dispersos entre territórios com fortes adensamentos urbanos . Não só Lula elegeu um posto, Sérgio Cabral reelegeu um nada. O segredo da vitória no Rio se chama zona oeste.
    Lula percorre territórios, vai e volta e sabe que alguém vai dizer que sozinho tem 30% do eleitorado. Por quê ? Quando o cinto aperta, o musical, o miserável, vai ao mangue e solta aquela: companheiro essa mão que já cumprimentou reis e rainhas também come calango ou calanga.
    Quem tem mais impacto visual ?Não haverá mais aquela arquitetura moderna. Qualquer edificação hoje se confronta com territórios. Explico melhor, Brizola ao longo da linha vermelha colocou os CIEPs de Oscar Niemeyer , hoje o complexo da Maré envolveu completamente sua arquitetura.
    Um pouco de Milton Santos , na internet já se discute sua territorialidade com um argumento contrário ao da Google.
    Os territórios conceituais e da maneira como eles fazem as coisas por lá, hoje um problema chato que é o orçamento fiscal dos americanos envolve uma globalização do público e quando eles falam sabem que a mídia vai lançar a mensagem por territórios. Esse é um dos problemas da oposição brasileira, o discurso fechado e localizado, deveria se comportar com uma empresa com direito a trademark.

    Curtir