Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Curtindo jazz na internet

Trecho do artigo publicado no Estadão deste domingo. Ethevaldo Siqueira A internet me fez voltar 50 anos atrás, exatamente na noite de 21 de outubro de 1960, quando, adolescente, dançava ao som da orquestra de Harry James, nos salões do chamado Palácio de Mármore, do Moinho São Jorge, em Santo André, no que era chamado […]

Trecho do artigo publicado no Estadão deste domingo.

Ethevaldo Siqueira

A internet me fez voltar 50 anos atrás, exatamente na noite de 21 de outubro de 1960, quando, adolescente, dançava ao som da orquestra de Harry James, nos salões do chamado Palácio de Mármore, do Moinho São Jorge, em Santo André, no que era chamado de Primeiro Baile Oficial das Debutantes, organizado pelo clube Pan WD-Panelinha. Quem me transportou a esse passado distante foi o site de jazz de Ronaldo Benvenga.

Se você é um apaixonado por música como eu, saiba que existem excelentes sites de jazz. E quem quiser ouvir essa música maravilhosa encontrará centenas de opções na internet. Não me atreveria a falar de todas, mas escolhi dois sites, meus preferidos, para ilustrar esta coluna.

O primeiro site de jazz que recomendo foi criado e é mantido por um dos maiores conhecedores da música norte-americana do Brasil, Ronaldo Benvenga. Seu conteúdo nos dá uma completa visão do jazz tradicional, com as Big Bands, os grandes instrumentistas, os maiores cantores e compositores. Além disso, o site tem artigos excelentes. E melhor do que tudo: você pode ouvir todas essas músicas, na série de programas de rádio feitos por Benvenga.

Periodicamente, entro no site Quinta Avenida para ouvir as Big Bands de Glenn Miller, Artie Shaw, Tommy Dorsey, e Harry James. Ou compositores como Gershwin, Cole Porter, Jerome Kern, e cantores como Frank Sinatra, Billy Eckstine, Perry Como, Bing Crosby, Sarah Vaughan, Louis Armstrong, Ela Fitzgerald, Billy Holiday, Tony Bennett, Doris Day e outros.

Outro conhecedor e apaixonado pelo jazz é Emerson Marques Lopes, autor do Guia do Jazz na internet e que escreve também para outras publicações online. Em seu guia, Emerson sugere outros sites sobre jazz em português e em espanhol, escolhe o site do mês, as rádios online, os podcasts jazzy, artistas, música instrumental do Brasil, shows e festivais, CDs, revistas, lojas, gravadoras e as 20 mais.

Clique aqui para ler o artigo completo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    f tavares 45 !

    sorte dessa geração que conheceu esses nomes da história da música… os que aprenderam a dançar com as músicas desses gênios, sabem do que trata o post. tal qual algumas musiquinhas mais modernas, dão vontade de chorar, só que de saudade…

    Curtir

  2. Comentado por:

    Vera

    Velhos tempos, doces dias.

    Curtir

  3. Comentado por:

    santeófilo

    Augusto:
    Essa feira livre está ficando cada vez melhor. Como fã de jazz, você pode imaginar minha felicidade ao ler o texto. Inclusive já coloquei o blog do Ronaldo Benvenga, nos meus favoritos!

    Curtir

  4. Comentado por:

    Egmont

    Ótimas indicações! No meio desse mar de mediocridade que é a música popular bananeira moderna, ouvir esses mestres do jazz é como encontrar um oásis. E assim também podemos tirar um descanso dos políticos que costumam conspurcar essas paragens.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Anouk

    Caro Augusto,
    Eu adoro Gershwin, Cole Porter. Cresci ao som do que há de melhor em música.
    Confesso, nao resisti peguei a minha cadelinha no colo e dancamos abracadinhas “Embraceble you” com Ella e “Begin the Beguine” com Michael Bublé; conhece? A voz do cara é suave e límpida.O que levei de lambida da Odile você nao faz idéia. Bjs.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Celso B

    Eu sou um bossa novista juramentado e sei que a bossa nova bebeu bastante no jazz.Talvez seja por isso que considero Cole Porter e Tom Jobim os maiores compositores de núsica popular de todos os tempos.Em termos de jazz sou do tipo conservador. Adoro os pianistas Oscar Peterson e Errol Garner.Consequentemente,não curto Thelonius Monk e outros tipo jazz alternativo(respeito as opiniões em contrário).Voltando a bossa nova que saudade do conjunto de Roberto Menescal,do Tamba,do Zimbo,Milton Banana,Manfredo Fest,do pianista Luis Carlos Vinhas(saudoso), do Dick Farnei cantando Tereza da praia com o Lúcio Alves e por aí vai.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Anouk

    Reynaldo-BH,
    Adorei o baiao barroco. Fiquei com lágrimas nos olhos. Nao conhecia o compositor.
    Obrigada a você pela boa dica, ao Augusto como sempre e é claro a Branca. Bjs.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Paulo Tozzi

    Quero que saibam que participei do programa do Ronaldo G Benvenga na Av Paulista falando do Jazz, e gostaria de ter acesso à minha entrevista, pois não tenho o email do Ronaldo. Mas a razão maior de eu entrar em contato com vcs é para dizer que tive breves contatos com Quincy Jones e Miles Davis no Festival de Jazz de Montreaux de 1992. Sou formado pela Berklee College of Music e tambem quiz falar da exigencia profissional no mundo da musica, por ter estudado nesta instituição.

    Curtir