Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carlinhos Brown cria a pandeirola, Emir Sader não enxerga José Sarney e Afif Domingos obriga assessores a usarem broche do PT em cima de camiseta do PSDB

Depois de garantir uma boa largada na corrida de maio com o lançamento da caxirola, Carlinhos Brown suspendeu os compromissos que assumiu como músico para buscar o título de HSV fantasiado de inventor de novidades para a Copa de 2014. “Ele acabou de criar um instrumento totalmente sustentável que batizou de pandeirola”, confidenciou o amigo […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 06h16 - Publicado em 10 Maio 2013, 20h40

Depois de garantir uma boa largada na corrida de maio com o lançamento da caxirola, Carlinhos Brown suspendeu os compromissos que assumiu como músico para buscar o título de HSV fantasiado de inventor de novidades para a Copa de 2014. “Ele acabou de criar um instrumento totalmente sustentável que batizou de pandeirola”, confidenciou o amigo que Carlinhos escalou para oficializar sua candidatura nesta sexta-feira. “É um círculo de plástico, coberto com uma espécie de pele de plástico, com platinelas duplas também de plástico na lateral”.

Minutos depois do emissário de Carlinhos Brown, apareceu na sede da Comissão Organizadora um homem com o peito ornamentado com o famoso poster de Che Guevara e o rosto parcialmente encoberto por um exemplar do livro 10 Anos de Governos Pós-Neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. “Estou aqui para inscrever o companheiro Emir Sader”, informou a estranha figura, que se recusou a declinar o nome. “Escrevam aí que sou estudante de ciências sociais, continuo jovem aos 38 anos e meu codinome é Marilena Chauí”, resumiu.

Embora repetisse de dois em dois minutos que não daria entrevistas a “representantes da mídia golpista”, o emissário anônimo permitiu a publicação de duas frases: “Estamos confiantes na vitória. Quem consegue fingir que não enxerga o Sarney ao lado do Lula e o Collor por trás da Dilma nasceu para HSV”.

Com uma camiseta do PSDB enfeitada com o broche do PT, um dos 176 assessores de Guilherme Afif Domingos chegou à sede da Comissão Organizadora com uma pilha de documentos nas mãos e uma dúvida na cabeça. “O chefe não me disse se vai entrar na briga de foice como vice-governador ou como ministro”, explicou. Depois de um telefonema para o candidato, o emissário informou que a solução do problema também fornecera a principal bandeira da campanha: “Afif não vê nem duplo emprego. Vote em um e eleja dois”.

A corrida pelo troféu de maio começou, leitores-eleitores! As inscrições estão abertas! Outros candidatos ainda vão surgir! Que vença o pior!

Continua após a publicidade
Publicidade