Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Botequim do Gabrielli (2)

“A situação da Petrobras hoje, do ponto de vista da Petrobras, estaria do mesmo jeito. Essa questão da perda do grau de investimento não tem nada a ver com a corrupção. A Lava Jato cria um problema reputacional, que, associada a essa questão financeira de curto prazo, cria um problema de curto prazo para a […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 00h16 - Publicado em 21 out 2015, 21h01

“A situação da Petrobras hoje, do ponto de vista da Petrobras, estaria do mesmo jeito. Essa questão da perda do grau de investimento não tem nada a ver com a corrupção. A Lava Jato cria um problema reputacional, que, associada a essa questão financeira de curto prazo, cria um problema de curto prazo para a imagem da companhia”.

José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, nesta terça-feira, na entrevista ao programa Contraponto, financiado pelo Sindicato dos Bancários, ensinando que a Petrobras ficou suja na praça não por causa dos quadrilheiros corruptos, mas por culpa de quem descobriu e revelou a maior ladroagem registrada desde o Dia da Criação.

Publicidade