Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Assédio telefônico

“Tenho que ficar quieta, por favor, me preservem”. Marta Suplicy, senadora pelo PT de São Paulo, pedindo a Lula, Fernando Haddad, Eduardo Suplicy e demais companheiros que parem de abarrotar a caixa postal do seu celular com apelos para que participe da campanha eleitoral do candidato a prefeito que o Chefe Supremo escolheu.

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 08h40 - Publicado em 7 jun 2012, 03h17

“Tenho que ficar quieta, por favor, me preservem”.

Marta Suplicy, senadora pelo PT de São Paulo, pedindo a Lula, Fernando Haddad, Eduardo Suplicy e demais companheiros que parem de abarrotar a caixa postal do seu celular com apelos para que participe da campanha eleitoral do candidato a prefeito que o Chefe Supremo escolheu.

Publicidade