Clique e assine a partir de 8,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A primeira-dama saiu às ruas de Taguatinga para ajudar o José Roberto Arruda do PT

Ciente de que uma primeira-dama do Brasil não pode sair por aí apoiando meio mundo, muito menos engajar-se na campanha de qualquer um, Marisa Letícia Lula da Silva só deu as caras na temporada eleitoral de 2010 ao lado ou atrás do maridão. Proclamando-se avessa a apresentações como solista, recusou todos os convites para estrelar […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 31 jul 2020, 10h12 - Publicado em 11 nov 2011, 07h56

Ciente de que uma primeira-dama do Brasil não pode sair por aí apoiando meio mundo, muito menos engajar-se na campanha de qualquer um, Marisa Letícia Lula da Silva só deu as caras na temporada eleitoral de 2010 ao lado ou atrás do maridão. Proclamando-se avessa a apresentações como solista, recusou todos os convites para estrelar passeatas ou comícios. Menos um: considerou irrecusável o apelo formulado pelo companheiro Agnelo Queiroz.

Em agosto, para ajudá-lo a eleger-se governador do Distrito Federal, a primeira-dama saiu às ruas de Taguatinga em companhia do candidato. Vejam o vídeo de 1min36. O sorriso sonso informa que Marisa Letícia não faz a menor ideia do que Agnelo pretende fazer no governo de Brasília. O sorriso guloso informa que o candidato sabe muito bem o que fará. Vai ser o José Roberto Arruda do PT. Mas não quer que os outros saibam.

httpv://www.youtube.com/watch?v=aAMJM6mR37U

No Globo desta quinta-feira, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg precisou de menos de 500 palavras para colocar abaixo o monumento ao cinismo erguido por Agnelo, com a ajuda dos companheiros de partido e da base alugada, para escapar do impeachment e enganar o camburão. A leitura do texto, reproduzido na seção Feira Livre, prova que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ainda não viu nada de errado na história do empréstimo bandalho por sofrer de miopia seletiva.

Para ganhar a eleição em Brasília, o PT procurou no PCdoB o candidato dos sonhos do partido. Encontrou o herdeiro moral de Joaquim Roriz.

Continua após a publicidade
Publicidade