Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

#SanatórioGeral: Camelô de empreiteira

Se Léo Pinheiro topa até entregar a própria mãe, o que Lula não faria para manter a vida mansa?

Por Augusto Nunes - Atualizado em 26 abr 2017, 15h23 - Publicado em 26 abr 2017, 13h39

“Foi tanta pressão em cima do Léo, condenado a 26 anos. (…) Estou vendo delatores com casa com piscina, em condomínios onde moram desembargadores. Desse jeito, o Léo vai falar até da mãe dele”. (Lula, sem explicar se Léo Pinheiro está sendo forçado a incriminá-lo em sua delação premiada por ter sido condenado a 26 anos de prisão ou porque, assim como o migrante nordestino que enriqueceu como camelô de empreiteira, não consegue viver longe de apartamentos de três andares no Guarujá, viagens em jatinhos, gorjetas milionárias disfarçadas de pagamento por palestras imaginárias e jantares molhados por garrafas de Romanée- Conti, fora o resto)

 

Publicidade