Clique e assine a partir de 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Pesquisa CNT/MDA: um detalhe que não é detalhe

A avaliação "péssimo" do Governo Bolsonaro saltou de 22 para 32%, um crescimento estupendo

Por Alberto Carlos Almeida - Atualizado em 12 maio 2020, 13h40 - Publicado em 12 maio 2020, 13h22

Tão relevante quanto o aumento da avaliação negativa de Bolsonaro, a pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta terça 12, mostra que o país está mais polarizado. As avaliações que mais cresceram foram a “ótimo” e a “péssimo”. A avaliação ótimo saltou de 10 para 14% entre janeiro e março, a avaliação péssimo saltou de 22 para 32%. Igualmente importante é o fato de que a proporção de péssimo ter se tornado praticamente três vezes maior do que os que avaliam ruim.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

Por um lado Bolsonaro parece ter agradado mais o seu eleitorado radical, por outro, foi avassaladora a piora de sua avaliação. Será avaliado “péssimo” é, sem dúvida nenhuma, do ponto de vista de Bolsonaro, péssimo. O esforço para resgatar quem saiu de uma avaliação positiva ou mesmo neutra para a pior avaliação negativa precisa ser imenso.

Bolsonaro está queimando grande parte de seu capital de opinião pública que o elegeu e esteve com ele durante 2019, ele deixou que o vírus da pandemia acabasse por contagiar quem já lhe apoiou com entusiasmo.

Publicidade