Clique e assine a partir de 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Lula de volta à trincheira da oposição

Ex-presidente falou como um líder de um partido de esquerda ao defender os interesses da base da pirâmide social

Por Alberto Carlos Almeida - 8 nov 2019, 18h45

Lula definiu a estratégia de comunicação: comparar ele, seu governo, e seu entorno, ao equivalente de Jair Bolsonaro. Lula comparou Fernando Haddad como ministro da Educação com Abraham Weintraub. Comparou quem cuida de seu Twitter, uma pessoa com cara e nome, com os 20 invisíveis de Bolsonaro. Lula disse que tem como ajudante de ordens alguém de patente superior a de Bolsonaro, e que, portanto, o atual presidente tem que prestar continência. Além disso, ele falou como fala um líder de um partido de esquerda: defendeu os assalariados, os trabalhadores, os motoristas de Uber e entregadores de bicicletas, enfim, a base da pirâmide social. Em um país tão desigual como o Brasil, com os níveis de pobreza recentes crescendo, Lula volta a ser mais um combatente da trincheira da oposição. A guerra, no momento, é de trincheira. Agora o PT e a esquerda têm de volta o maior comunicador político da história recente do país. Isso ficou claro no primeiro discurso de Lula fora da prisão.

Publicidade