Clique e assine a partir de 8,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Bolsonaro não se importa que você morra, nem que seus parentes morram

Seja homem Bolsonaro não seja um frouxo: divulgue para o Brasil inteiro e para o mundo os números que expressam a sua vitória quanto à morte dos brasileiros

Por Alberto Carlos Almeida - 6 jun 2020, 14h16

É impossível ter um mínimo de aceitação em relação a um presidente que não se importa com a vida de seus compatriotas. Esta semana ele disse que a morte é o destino de todos nós. Uma platitude digna de um néscio. José Eustáquio Alves, um dos maiores demógrafos brasileiros, fez a seguinte analogia: se você estiver em um barco e vir alguém se afogando no mar você não jogará a boia. Motivo: o destino de todos nós é a morte.

Bolsonaro sabotou a principal medida de combate à pandemia: o isolamento social. Bolsonaro demitiu Luiz Henrique Mandetta, que estava fazendo um trabalho responsável e consequente à frente do Ministério da Saúde. Mandetta era transparente, dava entrevistas todo dia às 17 horas, divulgava os dados, seguia o SUS. Bolsonaro sabotou o Ministro Nelson Teich ao nomear antes que ele assumisse um general como secretário-executivo. Bolsonaro está sufocando financeiramente estados e municípios ao atrasar vários auxílios financeiros.

Ao fazer tudo isso, Bolsonaro está atingindo seu objetivo: ele fará do Brasil o campeão de mortes pelo coronavírus. Eu posso morrer, você pode morrer, nossos entes mais queridos poderão morrer por causa do comportamento absolutamente irresponsável do Presidente da República. Ora, agora que ele está atingindo seu objetivo ele não quer que os dados sejam divulgados. É um frouxo! Se fosse realmente alguém com um mínimo de brio e de dignidade ele deixaria divulgar em alto e bom som os números de sua vitória, os números da imensa quantidade de mortos, brasileiros que estavam se afogando e que não tiveram boia para se salvarem. Essa boia não foi ofertada por obra das ações de Bolsonaro.

Lamento ter que admitir que nossos militares estão sendo cúmplices, justamente eles que existem para defender a pátria, ostentar nossa bandeira e bradar o hino nacional. Confesso que gostaria de ter militares mais dignos do que estes que aí estão aumentado seus rendimentos ao ocupar cargos neste governo.

O mais recente ato de Bolsonaro é sonegar as informações acerca dos mortes pelo COVID-19. Saiba ele que a insistência nesta decisão poderá lhe custar o mandato. Seja homem Bolsonaro, não seja um frouxo: divulgue para o Brasil inteiro e para o mundo os números que expressão a sua vitória na morte dos brasileiros.

Continua após a publicidade
Publicidade