Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O perigo na Antártica que pode acelerar derretimento de gelo

Material foi encontrado pela primeira vez em neve fresca do continente gelado

Por Jennifer Ann Thomas Atualizado em 15 jun 2022, 12h47 - Publicado em 15 jun 2022, 11h45

No início de junho, pesquisadores da Universidade de Canterbury, da Nova Zelândia, reveleram que partículas de microplásticos haviam sido encontradas pela primeira vez em neve fresca em regiões da Antártica. O estudo foi publicado no periódico The Cryosphere e mostrou como o continente mais inóspito do planeta está vulnerável às ações da humanidade.

Os microplásticos são partículas de plástico com até cinco milímetros de comprimento. Eles podem ser fabricados neste tamanho, para a composição de roupas ou de cosméticos, ou podem surgir a partir da deterioração de plásticos maiores, como embalagens e sacolas descartáveis.

De acordo com os cientistas, a presença do microplástico na Antártica é preocupante porque o material interfere nas características ecológicas locais, como limitar o crescimento, a reprodução e as funções gerais de organismos, e contribui com problemas globais, pois o microplástico no ar tem o potencial de influenciar a mudança do clima ao acelerar o derretimento de neve e de gelo.

Com o aumento da temperatura do planeta, geleiras e calotas de gelo estão derretendo de forma acelerada. O aumento do nível do mar é uma consequência do derretimento, mas a redução da superfície de neve e gelo no planeta acelera o aquecimento da Terra porque essas áreas refletem a luz solar. Os microplásticos podem fazer com que a luz solar seja absorvida, o que aumenta a temperatura local.

Ainda há poucos estudos sobre os efeitos do microplástico em humanos, mas partículas já foram encontradas na corrente sanguínea e no pulmão de pessoas.

Continua após a publicidade

A coleta de amostras foi feita em 2019 pela aluna de pós-doutorado Alex Aves em locais remotos, como na Plataforma de gelo Ross, e em locais com presença humana, como nos arredores da estrada que passa pela estação de pesquisa Scott e pela estação de McMurdo. 

“É incrivelmente triste, mas encontrar microplásticos na neve fresca da Antártica destaca a extensão da poluição plástica nas regiões mais remotas do mundo”, disse Alves. “Coletamos amostras de neve de 19 locais na região da Ilha Ross, na Antártica, e encontramos microplásticos em todos eles”.

O estudo encontrou uma média de 29 partículas de microplástico por litro de neve derretida, o que é um índice mais alto do que as concentrações marinhas relatadas anteriormente no Mar de Ross e no gelo marinho da Antártica.

Os microplásticos nos oceanos são uma das principais causas de poluição e de ameaça à biodiversidade marinha.

Para entender como o material foi encontrado em um local tão remoto, os pesquisadores analisaram as possíveis fontes de contaminação. Uma modelagem atmosférica sugeriu que os microplásticos podem ter viajado milhares de quilômetros pelo ar, mas também é provável que a presença de humanos na Antártica tenha estabelecido uma “pegada” microplástica.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)