Cientistas identificam mecanismo que provoca ganho de peso em ex-fumantes

Nicotina liga receptores cerebrais que tiram a fome e ao mesmo tempo estimulam o consumo de energia no organismo

Parar de fumar, na maioria dos casos, significa engordar. “Quem para de fumar por conta própria, sem acompanhamento médico, engorda de 10 a 15 quilos, em média”, afirma a cardiologista Jaqueline Scholz Issa, coordenadora do Programa de Tratamento do Tabagismo do Instituto do Coração, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Já se sabe que a nicotina provoca alterações no metabolismo. Mas ainda havia algo não muito bem compreendido pelos médicos: como, exatamente, essa nicotina diminui o apetite?

Um estudo envolvendo cientistas de várias universidades americanas identificou os mecanismos moleculares relacionados à perda de apetite motivada pelo cigarro. A descoberta deve ajudar a criar medicamentos que combatam o vício do tabagismo sem provocar o ganho de peso. Além disso, poderá inspirar novas terapias contra obesidade.

Yann Mineur, do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, testava um novo remédio para tratar depressão em camundongos quando percebeu que os animais perdiam apetite ao receber a droga. Para descobrir a causa, ele desligou seletivamente receptores neuronais no cérebro dos camundongos. O desligamento de receptores é uma técnica que utiliza remédios, alimentos, genética molecular e uma série de outros fatores.

Por eliminação, Mineur descobriu que, quando a nicotina liga-se ao receptor alfa3beta4, os neurônios enviam uma mensagem ao organismo: hora de parar de comer. E estimulam o consumo da energia armazenada no corpo. A descoberta foi publicada na revista Science.

Outro receptor, chamado alfa4beta2, está relacionado à sensação de bem-estar que o cigarro causa e, portanto, ao seu potencial de provocar dependência. A pesquisa pretende servir de base para o desenvolvimento de um remédio capaz de imitar o efeito da nicotina sobre o apetite – atuando sobre o alfa3beta4 -, mas sem estimular o vício – ou seja, sem se ligar ao alfa4beta2.

No vídeo abaixo, a cardiologista Jaqueline Issa explica por que deixar de fumar pode engordar: