Anvisa suspende produtos injetáveis à base de chá verde

Agência também proibiu comercialização de outros produtos feitos com extratos vegetais que prometem o emagrecimento

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação, a divulgação e o uso de medicamentos injetáveis à base de chá verde e de outros extratos vegetais que são vendidos com finalidade estética para o emagrecimento. A decisão foi publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União (DOU) e entra em vigor nesta mesma data.

Segundo a agência, não há estudos que comprovem que esse tipo de produto é seguro e eficaz no que promete – ou seja, a redução de peso e “o combate às gorduras localizadas”, como divulgaram algumas propagandas dos produtos na internet. Por isso, o órgão suspendeu “fabricação, manipulação, distribuição, comércio, divulgação, administração e uso de quaisquer medicamentos de administração parenteral à base de extratos vegetais isolados ou em associação com outras substâncias vegetais ou sintéticas.”