Serraglio decide recusar Transparência e Loures perderá foro

Dispensado da pasta da Justiça no último domingo, parlamentar do PMDB não aceitou assumir um novo cargo e vai retornar à Câmara dos Deputados

Dispensado do Ministério da Justiça no último domingo, Osmar Serraglio (PMDB) recusou o convite do presidente Michel Temer (PMDB) para assumir o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU). Serraglio reassumirá mandato de deputado federal pelo Paraná, fazendo com que o ex-assessor especial do presidente, Rodrigo Rocha Loures, volte à suplência e perca o foro privilegiado.

Em nota enviada a VEJA, ele agradeceu ao presidente pelo “privilégio de ter sido ministro da Justiça e da Segurança Pública” e reafirmou que volta para a Câmara dos Deputados, “onde prosseguirei meu trabalho em prol do Brasil que queremos”, afirma. O deputado ficou no comando da Justiça durante cerca de três meses, tendo sido nomeado em fevereiro para substituir Alexandre de Moraes, indicado para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, Serraglio tomou a decisão após saber da sua saída por meio da imprensa, sem que o presidente o tenha procurado para explicar a mudança na Justiça e fazer pessoalmente o novo convite. O deputado teria uma reunião com Michel Temer na tarde desta terça-feira, mas decidiu recusar o convite antes de encontrar o presidente. No domingo, o governo chegou a dar como certo que ele seria o novo titular da CGU.

Teriam pesado na decisão, ainda de acordo com o Estado, a fragilidade política do governo após a delação premiada do grupo JBS e a imagem que ficou dele, por conta das gravações, de não ter tentado interferir na Operação Lava Jato. Sucessor dele no comando da Justiça, o jurista Torquato Jardim já admitiu a possibilidade de alterar o comando da Polícia Federal, o que está sendo interpretado pela Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) como algo que desperta um “alerta”.

Indicado por Michel Temer a Joesley Batista como seu interlocutor pessoal, Rodrigo Rocha Loures foi flagrado pela PF recebendo uma mala com 500 mil reais em um restaurante de São Paulo. Segundo a colaboração de Batista, o pagamento estaria associado a benefícios indevidos que ele teria defendido para a JBS em troca de pagamentos. No último dia 18, data da deflagração da Operação Patmos, o ministro do STF Luiz Edson Fachin, já havia suspenso Loures do exercício do mandato.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Arlindo Bernert

    E agora Temer? Vai convidar o Rocha Loures para assumir a transparência. Olha que é uma saída honrosa para manter a impunidade dele e evitar que ele o delate. Pense nisto.
    Aliás alguém sabe o que faz o ministério da transparência? Examina transparência de roupas intimas mulheres de políticos? Ou de outras rendas?

    Curtir

  2. Osmar Serrragem

    Esta tese do “gesto de generosidade” do Temer é cômica. Seria legal se, igualmente, todos os 400 congressistas, em gesto de “generosidade” similar, abrissem mão da hipótese de uma candidatura…Também Lula, face à gigantesca rejeição nacional, deveria ser tomado de generosidade similar, abrindo mão de sua candidatura personalista.

    Curtir

  3. Antonio Renovável

    Parece que os novos colegas desse ministério, NÃO o queriam por lá.

    Curtir

  4. Ataíde Jorge de Oliveira

    Enquanto IÇÇO
    vejA
    o CANHESTRO processualismo_CONSTIUCIONAL.br
    …continua… Para DESORIENTAR a NaçãO, assustando
    o Governança da Coisa Pública. E, as FloreX do Estado
    POLICIAL, não é Q ESTãO a cada dia + VI$COSAS.pT

    Curtir

  5. Seria mais inteligente acabar com esse ministério de faz de contas.ah! E mais economia para o país. É uma pena por que os funcionários terão que trabalhar, ser a uma novidade para eles, fazer o quê, na vida tem que se trabalhar.

    Curtir

  6. como pode um presidente mais sujo que pau de galinheiro indicar um ministro pra justiça? meu Deus…. está tudo errado, estes terroristas estão nos roubando, matando a nação e ainda perpetuando o poder, ministro tem que ser de carreira, juiz, desembargador, com notório conhecimento jurídico, impecável, na sua honra, não estes terroristas que ai estão, cadê a pena de morte pra crime hediondo e terrorismo…. vão tudo pro colo do capeta, terroristas do inferno.

    Curtir

  7. Direito Lex Ratio

    Vemos se repetir o caso Dilma/Lula. Ratos do mesmo esgoto tentando se safar do naufrágio do navio chamado Brasil

    Curtir

  8. Faltou dizer da manifestação que os servidores da CGU corajosamente fizeram contra a indicação deste envolvido em escândalos para ser ministro.

    Curtir

  9. Temer, chama o Bessias!

    Curtir

  10. Luiz Carlos dos Santos Machado

    Erro primário da Veja, pois ele continua com foro privilegiado, eis que está definido como co-réu no processo do Temer, no STF.

    Curtir